Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




por The Cat Runner, em 30.10.16

AS FOLGAS DE ALICE

IMG2077EasyResizecom.jpg

 

 

 

Dia 28

28/10/2016

 

Sobre hábitos...

 

Foram quatro dias de folga que passaram muito rápido.

As minhas folgas, normalmente, são espremidas até ao tutano, aproveito-as o mais que posso. É aqui que me recarrego para o que há-de vir.

Guardo tempo para mim, passo-o como me apetece, como faço todos os dias, nas folgas mais um pouco do que é habitual.

Gosto de acordar à hora que me apetecer, gosto de ir ver as redes sociais, ainda na cama, gosto de vaguear pela casa, cheio de tarefas invisíveis, em círculos.

Gosto de abrir as janelas e deixar entrar o sol morno pela casa.

Gosto de me atirar para o sofá e ficar sem fazer nada.

Gosto de esperar que me dê fome para tomar o pequeno-almoço, gosto de esperar que me dê vontade de ir correr, gosto de esperar que me dê vontade de escrever, gosto de esperar que me dê vontade de ir beber um café e comer um pastel de nata, gosto de esperar que me dê vontade de pegar na minha mota e passear um pouco.

Gosto que me dê vontade, só depois faço, assim são as minhas folgas.

Geralmente passo longo tempo em casa. Em casa sinto-me bem, seguro, tranquilo.

Gosto quando as minhas folgas me dão aquela sensação que já fiz algumas coisas e tenho todo o dia pela frente para ficar na varanda, com as pernas esticadas, a ler.

Gosto de folgar durante a semana, faço-o muitas vezes, porque trabalho fins de semana.

Gosto de estar no porto de abrigo, por minha conta, enquanto o mundo funciona, lá fora e, mesmo quando saio, claro que saio muitas vezes, o mundo continua a funcionar, eu não. Folgo.

Alice veio alterar isso.

Não abdico desta pílula dourada que são as minhas folgas.

Alice veio alterar isso.

Deixei de estar completamente sózinho, nas minhas folgas semanais.

Mantenho-me, no entanto, dentro dos possíveis, fiel às minhas estranhas rotinas, mas agora tenho (temos) uma gata chamada Alice, que veio alterar uma série de coisas, e ainda bem.

Gosto de acordar à hora que me apetecer, mas agora a primeira coisa que faço é abrir a porta da cozinha e chamar Alice para junto de mim, gosto de ir ver as redes sociais, ainda na cama, mas agora Alice mete a pata no ecrã do tablet e não consigo fazer scrool, gosto de vaguear pela casa, cheio de tarefas invisíveis, em círculos, mas Alice acompanha-me, às vezes troca os círculos por rectas rápidas.

Gosto de abrir as janelas e deixar entrar o sol morno pela casa, mas agora Alice senta-se de frente para a janela e apanha o sol primeiro, antes de mim.

Gosto de me atirar para o sofá e ficar sem fazer nada, mas agora Alice atira-se também, por vezes adormece entre as minhas pernas, temos dormido umas sestas, os dois.

Estamos de folgas.

Gosto de esperar que me dê fome para tomar o pequeno-almoço, mas Alice morde-me os pés, gosto de esperar que me dê vontade de ir correr, mas Alice atrasa-me e entristece-me, quando a deixo só, gosto de esperar que me dê vontade de escrever, mas Alice estragou-me o teclado e não se cansa de passear nele, gosto que me dê vontade de ir beber um café e comer um pastel de nata, mas Alice percebe que é rápido, gosto que me dê vontade de pegar na minha mota e passear um pouco, Alice sabe que não tem capacete, não pode ir.

Gosto que me dê vontade, só depois faço, assim são as minhas folgas, agora partilhadas com Alice.

Geralmente passo longo tempo em casa.

Em casa sinto-me bem, seguro, tranquilo.

Alice também.

Gosto quando as minhas folgas me dão aquela sensação que já fiz algumas coisas e tenho todo o dia pela frente para ficar na varanda, com as pernas esticadas, a ler.

Alice não vai à varanda da sala. Talvez na primavera, para ver a árvore da frente a crescer, a mudar de cores, de roupa, talvez na primavera, Alice.

Gosto de folgar durante a semana, faço-o muitas vezes, porque trabalho fins de semana.

Gosto de estar no porto de abrigo, por minha conta, enquanto o mundo funciona, lá fora e, mesmo quando saio, claro que saio muitas vezes, o mundo continua a funcionar, eu não.

Folgo.

Prometo comprar um capacete para Alice e passear com ela, durante uma tarde de folga.

Acho que ela vai gostar de andar de mota.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:05



Uma cena sobre corrida em geral e running em particular e também sobre a vida que passa a correr. Aqui corre-se. Aqui só não se escreve a correr. Este não era um blog sobre gatos. A culpa é da Alice.

Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2019
  2. JAN
  3. FEV
  4. MAR
  5. ABR
  6. MAI
  7. JUN
  8. JUL
  9. AGO
  10. SET
  11. OUT
  12. NOV
  13. DEZ
  14. 2018
  15. JAN
  16. FEV
  17. MAR
  18. ABR
  19. MAI
  20. JUN
  21. JUL
  22. AGO
  23. SET
  24. OUT
  25. NOV
  26. DEZ
  27. 2017
  28. JAN
  29. FEV
  30. MAR
  31. ABR
  32. MAI
  33. JUN
  34. JUL
  35. AGO
  36. SET
  37. OUT
  38. NOV
  39. DEZ
  40. 2016
  41. JAN
  42. FEV
  43. MAR
  44. ABR
  45. MAI
  46. JUN
  47. JUL
  48. AGO
  49. SET
  50. OUT
  51. NOV
  52. DEZ
  53. 2015
  54. JAN
  55. FEV
  56. MAR
  57. ABR
  58. MAI
  59. JUN
  60. JUL
  61. AGO
  62. SET
  63. OUT
  64. NOV
  65. DEZ
  66. 2014
  67. JAN
  68. FEV
  69. MAR
  70. ABR
  71. MAI
  72. JUN
  73. JUL
  74. AGO
  75. SET
  76. OUT
  77. NOV
  78. DEZ
  79. 2013
  80. JAN
  81. FEV
  82. MAR
  83. ABR
  84. MAI
  85. JUN
  86. JUL
  87. AGO
  88. SET
  89. OUT
  90. NOV
  91. DEZ