Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



ALICE, A GATA BORRALHEIRA

Sexta-feira, 04.11.16

IMG2121EasyResizecom.jpg

 

 

Dia 34

03/11/2017

 

Coisas de princesas...

 

Cá em casa as coisas aparecem, desaparecem e acontecem.

Eu explico.

Por exemplo, aparecem sapatos vindos do nada – eu sei de onde vêm, mas prefiro chamar-lhe “nada -, desaparecem, sei lá, camisolas, meias, coisas dessas, como se a casa se tornasse um buraco único (aparecem tempos depois) e, acontecem coisas, como hoje.

A Carla, ao contrário de mim, utiliza as folgas para produzir. Descansa, corre e produz. Eu não. Eu só descanso e corro.

Quer isto dizer que as nossas folgas, para além de serem desencontradas, são totalmente diferentes. Ela é muito mais organizada e melhor que eu. Em quase todos os aspectos.

Agora, desde que começou a correr, costuma enviar-me mensagens com os gráficos da corrida, eu costumo incentivá-la, por vezes faz como eu, manda apenas uma foto de Alice.

Temos feito isso quase todos os dias. Chama-se saudade afectiva (inventei agora).

Assim, enchemos os nossos sorrisos de Alice durante todo o dia.

Hoje, bom, hoje recebi a foto que acompanha este texto.

Sapatos, muitos sapatos, cores, muitas cores, dinâmica (e eu às gargalhadas), tudo o que Alice podia pedir para uma tarde memorável.

Pois bem, aquilo que vê na imagem são alguns dos sapatos que a família – cada qual com o seu par- utiliza. Costumam estar guardados num armário, no hall de entrada. Há anos que é assim.

Agora, imagine, três vezes mais estes sapatos…

Sim, estão na arrecadação. Acesso interdito a Alices.

Vão para a TVI, que está lá um gigantesco contentor, em papelão, para os depositar e reaproveitar.

Fui sendo informado, ao longo do dia, do quão estava a ser divertida a tarde, para Alice ( e não só).

Enquanto arrumavam sapatos, limpavam os armários, Alice experimentava sapato a sapato.

Levou um certo tempo.

Quando cheguei a casa, lá por volta das dez da noite, estava tudo arrumado, cheiroso, limpo.

Estranhamente, comentei, Alice estava na sua cama cor-de-rosa; “fartou-se de desfilar, esta tarde, divertiu-se tanto com os sapatos”.

“Mas, é estranho, nunca está na cama, a esta hora...”.

“Deve estar cansada, foi o dia inteiro sem parar”.

Levou uns minutos.

Agora, Alice está entretida, lá na vida dela, ali em cima da arca que divide os sofás, depois vai para cima das cadeiras da sala, já quase não morde as nossas mãos.

Acho que isto dos sapatos lhe fez bem, digamos que foi a sua primeira grande experiência, ou prova-dos-nove, enquanto jovem princesa. Uma benesse, vá.

Tenho para mim que, a gata borralheira mora aqui. Por enquanto é uma princesa. Assim será, enquanto quiser.

Até porque eu não acredito em abóboras gigantes puxadas por cavalos brancos.

Mas, acredito na gata borralheira e, não conte a ninguém, até sei porque é que Alice se divertiu tanto:

Não foi um, não foi um par, foram dezenas de sapatos, Alice só teve que escolher.

Afinal, gata borralheira que se preze, transforma-se sempre em princesa, mais cedo ou mais tarde ou vice-versa.

E, não há cá príncipes encantados com um sapato de cristal na mão à procura da princesa.

Alice tem muitos sapatos por onde escolher.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por The Cat Runner às 00:10





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Novembro 2016

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930








comentários recentes

  • The Cat Runner

    Viver em ansiedade é mau. Retira-me a vontade. Hoj...

  • Ana

    Também soube desse desaparecimento e tenho andado ...

  • The Cat Runner

    O melhor foi nos dias seguintes, mas isso só logo...

  • Ana

    Boa. Fantástico.

  • The Cat Runner

    Se não saiu deve esra a sair :)

  • Ana

    Vá lá... Queremos saber.

  • The Cat Runner

    Boa noite,fico sem palavras depois de ler o seu c...

  • Anónimo

    O ano passado tive o prazer de participar na Corri...

  • The Cat Runner

    É assim, a vida. Obrigado, pelo seu comentário. Bo...

  • Alfredo Simões

    Às vezes a vida não é fácil e a apreciação dos nos...