Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



ALICE ACORDOU CEDO PARA VER A TELEVISÃO

por The Cat, em 27.11.16

IMG_1917_Easy-Resize.com.jpg

FOTO BY CARLA MOITA - ÉVORA CITY

 

 

Dia 55

26/11/2016

 

Sábado foi a véspera da corrida.

Não me escapei, não nos escapámos para a sopa de cação, foi impossível.

Os gestos mais simples são aqueles que detalham os nossos caminhos, em boa hora não nos escapámos.

Como convidados oficiais do evento, o facto de termos anulado a nossa presença nos eventos oficias, na véspera da corrida, obrigava-nos a comparecer no jantar oficial.

Obrigava, não no sentido imperativo da palavra.

Descemos à hora acertada com o Marcos, encontrámos o Sérgio na recepção, juntaram-se a nós uns familiares dele e, o GPS foi o que nos guiou.

Encontrámos o convento, a pé, no exacto momento em que começou a chover.

Corrida molhada, corrida abençoada.

Na messe de oficiais, ousei repetir o lombo com farinheira e o arroz com sultanas, olhámos cara-a-cara com duas garrafas do Douro, que isto do território é mesmo assim.

Ouvimos Cante Alentejano, ao vivo, jantámos, escutámos os discursos e rimos.

É o que ficou.

FullSizeRender_Easy-Resize.com (5).jpg

 

 

 

Estivemos com novos amigos, conversas agradáveis, gargalhadas, que é isto que daqui levamos.

Só pensámos em Alice noite dentro, ao chegar ao hotel, a poucos metros de tudo, menos dela.

“Está quase, amanhã corremos, vimos buscar as coisas e vamos para cima...”

“O que é que ela estará a fazer neste momento?”.

“Livre, está livre, tem todo aquele espaço para ela”,

“como nós temos todo este espaço para nós”.

Ultimamente, vou revelar o detalhe íntimo, temos adormecido a ver a série “Crown”, nos tablet.

É sobre a rainha de Inglaterra, sobre Churchill, e depois adormecemos.

Pegamos em Alice ao colo, um de nós, deitamo-la sob a sua cama cor-de-rosa.

“Até amanhã, Alice, dorme bem”.

Por vezes sai-nos a palavra “princesa”.

Alice passa metade do serão entre as minhas pernas, estendidas, estendida, enquanto vai fechando os olhos, lentamente, a outra metade do serão, no outro sofá, junto à Carla.

Eu pensava que, na nossa chegada, Alice fosse saltar, correr, e essas coisas, mas não, Alice é uma princesa, sem aspas.

Abriu os olhos, esticou-se, só depois veio até nós.

Cumpriu o ritual, embora tenha dormido mais tempo nas minhas pernas hoje, que habitualmente. Deve ser aquela palavra; saudade. Não tem tradução.

Não imagino o que terá feito na nossa ausência, enquanto corríamos, nem sei se teve forma de acompanhar a corrida, a nossa, na televisão.

Creio que deva ter dormido muito.

Como agora.

A nossa corrida não terminou hoje.

Nem a de Alice.

A nossa corrida é todos os dias, juntos, em cada subida, em cada descida, em cada meta, em cada partida.

E, que bom que é chegar.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:06



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D